Mudando pra ser feliz

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Tudo que tenho


Porque tudo que tenho são minhas dores.
E a certeza de que ninguém jamais as compreenderá.
E que serei sempre aquela com que é muito difícil, às vezes até impossível, conviver.
E como isso dói. Machuca. Fere. Arrebenta. Por dentro e por fora.
Hoje o dia está terminando mais que cinza.
Negro.
Bjs

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Das dores que sempre voltam

Abrindo um parênteses... O post hoje tem dois tons: um mais acinzentado, escuro, beirando o depressivo, e outro mais alegre, mais leve, pra não dizer que não falei de flores.
Mas o incômodo é grande com as coisas que não consigo resolver, então me perdoem as mágoas, elas necessitam ser destiladas...

A parte escura do post:

Ignorante. Difícil de lidar. Alguém que não conversa. Mal humorada. Grossa. Impaciente.
São tantas coisas ruins que falam que acabo acreditando. Com ele não tem sido difrente.
Eu vejo a vida dos outros andando e ele continua parado.
Muito por culpa minha que insisto em tomar a frente das coisas para que não deem errado e acabo não permitindo que ele aprenda. Mas ele també não se esforça pra isso.
Ele se acomodou, porque certamente é confortavel casa, comida, roupa, contas pagas, mulher, e muito pouca preocupação, ainda que a mulher esteja sempre enchendo ou controlando, dá pra aguentar.
E eu me culpo porque não dou a atenção, porque cobro demais, porque exijo que ele corra atrás, que batalhe, que me ajude, porque eu busco minha felicidade em coisas que não o incluem.
E não devia, porque qualquer um consegue enxergar que eu aguento muito mais do que devia, por tudo que eu passo.
Mas apesar de tudo eu ainda quero o bem dele. Ainda gosto da companhia, do carinho, só que não mais como antes.
Não há esforço pra me mostrar o porque eu devo continuar ao lado dele, não há esforço pra me fazer acreditar que ainda seremos felizes. Nem sei se algum dia de fato houve esse esforço, ou se sou eu que sempre insisti para que ele me fizesse acreditar nisso.
E durante estes oito anos eu passei por cima de muita coisa, me enganei acreditando que iria mudar, mesmo sabendo que de fato em alguns aspectos ele mudou, mas se comparado a tantos outros, não passa nem perto do que  poderia ser.
Me arrependo de assumir tudo. Me arrependo de buscar a felicidade fora. Me arrependo de continuar investindo em algo que não vejo futuro, pelo menos pra mim. Me arrependo de nunca tê-lo feito ver que a vida é dura lá fora, longe da minha proteção, e que ele não cresceu porque eu sempre o guardei das maiores decepções.
Ninguém passaria pelo que estou passando e continuaria ao lado dele. Tem momentos em que penso que devo ser muito idiota mesmo pra continuar suportando certas situações e acreditando que não sou merecedora de mais. Porém a vida toda eu acreditei que era pouco, que sempre devia ser mais porque nunca sou suficiente pra ninguém.
É uma estorinha que me repetiram ao longo destes 35 anos.
Com tanta gente dizendo que eu estou errada, um dia isso se guarda dentro de mim pra nunca mais sair. Por enquanto eu ainda tenho dúvidas. Eu ainda acho que não sou assim, e que tenho minhas qualidades.
Mas o dia em que eu tiver certeza, e não pairar sobre mim a sombra do descrédito, não creio que terá volta, e serei realmente esse alguém que não merece a companhia alheia, porque sou muito pouco e não valo a pena.


.....................



A parte mais leve do post:

A Flor, a Viih e a Daniii me acompanham no facebook, e volta e meia sabem das novidades. Inclusive foram elas que botaram muita pilha pra eu voltar a escrever. E a Lilly ama a dança tanto quanto eu. Então é pra elas este pedacinho do post, com os vídeos das apresentações no Espaço de Dança Cristiano Pereira, que me encheram de orgulho no final do ano passado, e que me fizeram sentir capaz de novo.
Foi um mês inteiro de muitos ensaios, de stress, de feriados na academia, mas também de muita diversão, e com a certeza de que se tiverem outros, e for convidada, estarei lá.
Feliz por saber que se eu quero, eu posso, eu consigo. Sempre.

O samba, destaque total na coreografia... E a vergonha a mil!!! (isso é problema dela...)

O soltinho, vesti azuuuuuul minha sorte então mudooooouuuu...

E o bolero, minha paixão sempre... Delírio....


Bjs






domingo, 22 de janeiro de 2012

Palavras-chave para 2012

Reencontros. Organização. Superação. Conquistas. Libertação.
Estas são minhas palavras-chave para o ano que está chegando ao final do seu primeiro mês.
Um começo relativamente confuso, mas com coisas que me fizeram mais uma vez parar e pensar que nada muda se eu continuar neste passo marcado, sem direção e acomodado.
O susto foi grande, mas teve resultado positivo.
Ninguém, nem mesmo as pessoas que teoricamente deveriam me apoiar incondicionalmente, foram capazes de olhar a dor, o sofrimento e a angústia que eu estava vivendo.
Não se impotaram se os meus momentos alegres eram reais.
Permanecem no erro de acreditar que eu sou uma pessoa essencialmente amarga, intolerante, intransigente, mal humorada.
Mas os melhores momentos são aqueles que compartilho com quem eu gosto, aqueles que me cobram não a presença apenas por ser necessário estar ali, mas sim porque sem a minha presença eles não se sentem completos.
Isso é que faz valer a pena viver. Superar mais um dia.
E é por isso que estou aqui de volta.
Porque o blog é meu encontro com aquilo que sei fazer de melhor. São as minhas palavras suturando os ferimentos da minha alma.
É novamente a minha vida passada a limpo.

E pra mostrar que as flores estão voltando a preencher o jardim, e que eu continuo semeando o que vale a pena, alguns dos meus melhores momentos:


A dança me move, me sustenta, me reanima. Aqui estivemos reunidos nas nossas apresentações para o Espaço de Dança Cristiano Pereira, na sua comemoração de 5 anos. Alunos, professores, bolsistas, tudo fez valer o trabalho e o stress de um mês de intensos ensaios.


  
  O Bolero, com Alan, que torna minhas aulas um suplício, mas que também sabe arrancar meus sorrisos quando quer. 

O Soltinho, com Márcio Paiva, nos divertimos muito!


E o Samba, a minha outra apresentação, com ele de novo, no meu mais que orgulhoso encerramento. :)


Eu e as "meninas" no já amado baile dos domingos no Governador Iate Clube (este foi o encerramento de 2011)



Outro grupo que me dá forças pra estar de pé às 5 da manhã e malhar todos os dias, ou como diria minha amiga Gisela, OS MELHORES ALUNOS DA MELHOR TURMA DE NATAÇÃO DA ACADEMIA
O meu motivo de viver está no sorriso do sobrinho mais lindo do mundo... como eu amo, desde o instante que soube que o reizinho Arthur viria consagrar nossas vidas


E estas são as minhas conquistas dos últimos quatro anos. Neste ano o objetivo é maior, fazer a Family Run CORRENDO (a inscrição já está feita) e quam sabe participar de outros circuitos, superando meus tempos a cada uma. Isso vai me ajudar a lembrar que não posso me abandonar mais uma vez e ceder ao conforto, e engordar, e viver sedentária novamente.



Já não quero mais pouco. Quero muito. Quero mais.
Quero ser eu mesma, e me orgulhar disso. E ser feliz, sem arrependimentos.
Quero chegar ao final e dizer que cada instante valeu. Foi bom, foi ruim, mas valeu.
Sem isso não tem porque dar mais nenhum passo.
E eu não quero parar de caminhar.
Bjs e sejam bem vindos de volta ao meu cantinho

PS: E pra fechar, um vídeo sobre motivação que me sacudiu hoje cedo. Algo pra ver e rever a cada vez que pensar em desistir. E eu não vou desistir.
video

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Abandono

Li esta semana.
Frase de Demi Moore, depois da sua separação:
"Sempre tive medo de ser abandonada, até ouvir um conselho precioso: Só as crianças podem ser abandonadas. Adultos não, porque eles tem escolha."
Pra mim, fez todo sentido.
Bjs

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Para minhas doces amigas

Como nada muda da noite para o dia, o guerreiro dá um novo passo em falso e mergulha mais uma vez no abismo.  Os fantasmas o provocam, a solidão o atormenta. Como agora tem mais consciência de seus atos, não pensava que isso fosse tornar a acontecer.
Mas aconteceu. Envolto pela escuridão, ele se comunica com seu mestre.
“Mestre, caí de novo no abismo”, diz. “As águas são fundas e escuras”
“Lembra-te de uma coisa”, responde o mestre.  “O que afoga não é o mergulho, mas o fato de permanecer debaixo d´água”.
E o guerreiro usa o resto de suas forças para sair da situação em que se encontra.



Daqui

Bjs
(Lembrei de tudo que a Flor de Lótus, a Amélie, a Verônica, a Cinthya e a Lilly sempre me falam nos momentos mais difíceis: Manter a cabeça erguida.)

domingo, 8 de janeiro de 2012

2012 é ano de mudar. E melhorar. E recomeçar.

O ano já começou melhor.
Mais duas tatuagens pra coleção.
Recomeço, renovação, novos caminhos.
Que assim seja.
Bjs

domingo, 1 de janeiro de 2012

2012

E porque tudo sempre tem que valer a pena, o primeiro pensamento do ano, com clima de mantra pra todos os dias, será este:
"E por não saber que era impossível, foi lá e fez."
Bjs